Gotejos de cristal - para o poeta José António Gonçalves (JAG)

o punhal do destino cravou o íntimo da ferida
estilhaçou-lhe a pele em mil gotejos de cristal
o trovador gemeu um adeus diligente.. partiu ...
e as flores inclinaram-se na homenagem

os gotejos salpicaram a ilha de pau florido
o chão.. é céu aberto que acolhe um poema
as auroras estão agora enlutadas de letras
choveste no teu mar.. vicejas na tua terra

doem-me as letras.. nos meus dedos órfãos
despejam-se-me os olhos de mares insulares
a alma ave.. esvoaça para o rocio perenal
um rasto de branca saudade.. assina o fim

tocam os sinos do teu tema dentro de mim
guardo o abraço ímpio.. da tua obra painel

homenagem póstuma do amigo - ferool (Fernando Oliveira)