Ciranda do Bosque Encantado
(Primeiro aniversário)

1 - Bosque Encantado - Acróstico

B usquei na terra, espaço e oceano,
O nde depositar meus lindos sonhos,
S eguro só achei um local ofertado...
Q imera chamaram á minha realidade,
U sei desejo deste coração profano,
E nleado por negros olhos risonhos!

E ali nesse espaço que me foi dado,
N asceram frutos do amor e saudade,
C om gritos silenciados pela razão...
A rdor com chama para mim dirigida,
N os versos com rimas, concebidos,
T al qual eles brotaram do coração!
A rtísta amoroso lhes deu acolhida,
D os seus dotes surgiram, erigidos,
O s poemas como filhos, recebidos!

Arlete Piedade - Fada das Letras


2 - Uma história de amor e letras

C oração valente
A mou
V iveu em sonhos
A linhavou seus desejos
L evantou as certezas
E xperimentou as paixões
I ntensas buscas de realizações
R ondou pelas trilhas da natureza
O nde encontrou realização de ensejos

M ágoa sentiu, medos bisonhos...
A guardou...
G alardão onipotente
O bteve do amor...

F antástica criatura
A linhavou suas quimeras
D oces emoções
A guardando momento de ação

D esenhou suas vontades
 nsias há muito sentidas
S ufocou as vivencias não vividas

L á onde há amor sem maldades
E ternizou secreta paixão
T alvez, tristes recordações...
R eagiu o tempo, outras primaveras,
A ltivas novas surgiram, mar de ternura,
S orriu a Fada ante um coração valente

N ada acontece por acaso
O nde há sentimento, verdade existe...

B rilhou uma estrela
O nde o amor fez morada
S eres fantásticos anunciaram
Q ue o bosque festejaria
U nião de afeto e companhia
E ntre fada e coração valente

E ntão, coloriu-se o mundo,
N atureza aderiu à festa
C anoras aves formaram orquestra
A uras celestes de lumes profundos
N oite escura, tornou-se iluminada.
T udo se preencheu de beleza
A poesia efervesceu-se pela madrugada
D as letras brotou o verso
O bosque floriu de amor o universo

Denise Severgnini
26/04/2007


3 - Bosque do Amor Encantado

Antonio Cícero da Silva

B osque do amor encantado
O uro real e reluzente
S inônimo e reverência
Q uarteirões de alegria, é
U m lugar de grande magia,
E legância e arte primordial.

D o amor é encantamento e
O rdenança no perfeito trajeto.

A ssociado ao bem estar e
M uito mais que brilhante
O bosque do amor,
R efrigera a alma, aconchegante.

E legante com bastante arrojo
N atural e fantasioso
C ada visitante seu, o
A ma sempre mais e mais
N unca exala tristeza e
T udo é ligado a harmonia
A limenta a perseverança
D e tantos quantos o procuram,
O bosque é divina tranquilidade.


4 - Querida Fada das Letras

Venho pelos espaços
Trazendo nos braços louros e flores!
Venho ao bosque de sonho
Onde esqueço tudo
Aqui, és musa e o teu poema se faz voz!
Brilho de estrela, fluente palavra,
Rima ligeira, emoção profunda…
Entro na dourada bruma
E perco-me de mim!
Sigo a voz dos teus pensamentos
Que tanto ecoam nos meus!
Relembro o afecto reflectido nos teus olhos,
E a verdade do teu Ser
Poetisa, amiga e mulher!

Maria Petronilho


5 - O Bosque Encantado

B osque encantado tens no peito beleza
O nde eu encontro maravilhosa pureza
S empre que entro dentro de ti.
Q ue belo aroma o bosque me deu
U ma belíssima prendinha me ofereceu
E sse grande amor que eu nele vi.

E m manhã vestida de amor em dia alado
N o bosque eu vi o melro apaixonado,
C antar uma lindíssima canção.
A sua querida amada a seu lado
N ão resistiu a tão eloquente paixão,
T ambém ela num gesto adocicado
A ele se agarrou com tal emoção
D esse grandioso amor ficou então
O Bosque para sempre encantado.

27.04.2007 Aires Plácido


6 - Bosque Encantado

B- bordando letras entrelaça as rimas
O- ornamentando de enlevo o que crias
S- solubilizaste poesias que tanto primas.
Q -quando em ti semeei minhas pedrarias
U -ungindo o solo ao recitar suas esquinas
E -enveredei flanando por muitas confrarias...

E- entremeado aos ciprestes deste Bosque
N- nuances ora matizada em seus versos
C- colhendo flores que em poema plantaste
A -abençoando almas afins e seus universos
N- nacarando perolas solfejando o sudoeste
T- tatuando no ser, a harmonia dos impressos
A -arroteaste meu viver de poeta, quando disseste
D -dou-te adubo e solo, aro-te semens diversos
O -olvidar não poderia, é o encanto de meu Leste!

“A Poetisa dos Ventos”
Deth Haak
SPVA-RN

Cônsul Poeta Del Mundo –RN
AVASPE.


7 - No bosque do amor e das letras

B rilha uma “Fada” Mulher de alma perfumada... Ser das letras iluminada em suas canções alada
O seu jardim é só alegria... Aos poemas que nós contagia... Viver suas emoções da poesia... Aromadas de inebria
S endo doces melodias ao som da harmonia... Sobre o cuidado da simpatia das mãos de uma fantasia...
Q ue seu mago acelerado jaz nas asas de seu violino... O mais perfeito matiz de um sino... Na contempla se seus hinos...
U m encanto nas entranhas do por do sol... Habitando risos nas manhãs do arrebol... Alegrando o raiar do dia na sinfonia do espiritual
E m forma de flores a seus primores... Que sonha um pássaro de amores á sua andorinha de cores...

E le sempre o cavalheiro á cuidar de seus sonhos exalados... Que voam em seus aromas anunciados... Ao véu do azul celeste contemplados
N a mais terna meiga luz do luar matizado... Sobre o rosto que convida os olhos do nosso agrado... A participar deste encanto perfumado
C om falas que traduzem o carinho da amizade... Transformados pela bonança do amor que nós invade... Á desejar sempre os ramos e as seivas da felicidade...
A você amiga Arlete Piedade... Ofereço-te está simples homenagem... No corcel desta minha viagem... Que me fez invadir seu bosque de passagem
N a garupa que tange o arco da saudade... Lançando aquelas gotas que no peito assim arde... Quando festejamos essências de verdade...
T ocadas pelas mãos do nosso pai celestial... Que a dita está fala ao seu especial... Para que o seu bosque seja sempre está glória divinal...
A carinhando sementes do bem... Com está luz que ilumina anjos sem vê a quem... Que muito... Mais muito aos nossos olhos do coração só traz a paz do bem...
D entre a tradução que vibra o seu jardim de emoção... Aos louvores que tu bem dita de alma e coração.
O brigado por eu fazer parte desta magia eterna... Sendo eu uma pequena materna... Á saudar-te com minha simples humildade terna!

Giovania Rocha 28/04/07


8 - Responsabilidade e Verdade amor

R espeitosamente aceito teu convite
E spero que venha a ser de teu agrado
S e não gostares diz-me e admite
P ondo beijos em tua boca abraçado
E spero que encontre no beijo o sabor
I ndo na ladeira do amor e da paixão
T ambém sentido de ti todo o calor
O nda larga me afoga meu coração

E nfim vejo que és verdadeira poeta

V erdadeiramente erras-te uma vez
E speravas ajudar e fazer bem
R esponsabilidade não requer altivez
D amos amor pela verdade também
A ndo pensando o que seja uma carta
D aria tudo saber a diferença que tem
E ncontrei mas não as que prémios tem

A ndando neste mundo escrevendo
M ando na verdade de meu pensar
O ndas de mentiras vem me batendo
R esponsabilidade e amor,saber amar

Por Armando Sousa

www.pequeninapoesias.com.br


9 - Fada das Letras

F oi com enorme prazer
A miga te conheci
D os poetas aqui da net
A lguém me falou de ti

D os poemas que fazias
A lguns porque eu já os li
S ão poemas de amor

L evam chama de calor
E nvolvidos em carinhos
T ernos e subjectivos
R ecordando o passado
A rlete, já tens falado
S ó tu sabes os motivos.

Dulce Saldanha
28.04.2007


10 - O Bosque da Arlete Piedade

O bosque é encantado

B osque sim com amor
O s poemas e seu ritmado
S ão como um jardim em flor
Q uando Arlete se interioriza
U ma, duas ou três tanto faz
E m seu coração se eterniza

D á alma e enfase á imaginação
A ssim, numa entrega amiga

A ma o seu amigo, sem restrição
R umo á palavra criou um bosque
L á onde a poesia é uma oração
E a amizade nos pega na mão
T em a casta alegria da mata
E ste dia especial, nesta data.

P orque tudo é poesia e amor
I dos tempos em que carpia a dor
E ntão nasceu uma fada encantada
D ando vida a duendes e amada
A rlete Piedade seja como for
D edicada ás letras com fervor
E faz da poesia, sua espada

Cecília Rodrigues
www.cecypoemas.com

 

PROSSEGUE DE 11 a 20

Início do site
  11 a 20